Direitos da Criança

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Contos de morte morrida

  • Crítica literária – Estela Magalhães Ribeiro 28/09/2008

    1. TÍTULO: Contos de Morte Morrida
    2. AUTOR: Ernani Ssò
    3. ILUSTRADORA: Marilda Castanha
    Não encontrei fotos da ilustradora.

    4. CRÍTICA
    O que você achou do livro? Por quê?

    Eu achei o livro muuuuuuiiiitoooo legal. Porque ele fala de uma morte super boazinha e de umas pessoas que querem enganar ela. Só que elas nunca conseguem, pois ela é muito experta e nunca deixa eles vencerem. Tem outras pessoas que fazem uns tratos com ela e quando elas vencem por causa do trato elas se arrependem.

    São dez histórias sobre a morte. Você tem que tentar descobrir qual história ele inventou. As outras nove histórias ele pegou em algum lugar, são histórias populares que ele pegou, reescreveu e colocou no livro.

    Todas as histórias começam com “há muito tempo, quando os bichos falavam...” e isso é muito engraçado por que os bichos nunca falaram na vida!

    5. Você já leu outro livro desse autor? Quais?
    Não, este foi o primeiro dele.

    6. O que você percebeu de comum nos livros desse autor?
    Ainda não li outros livros dele...

    7. Você já leu livros, poemas ou escutou músicas que falavam sobre o mesmo assunto do livro lido? Quais?

    A noite no castelo : do Hélio Ziskind
    A revolta dos fantasmas
  • As aventuras do Barão Munchausen

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

A Mariana Massarani comentou neste Blog!





Resenha – Estela Magalhães Ribeiro 21/09/2008

Toda criança gosta...

AUTORA:
Bia Hetzel(Beatriz Bozano Hetzel)

ILUSTRADORA:

Mariana Massarani
Achei o livro legal e muito minúsculo, apesar de ser grande! Ele é sopa de minhoca de ler (fácil demais)! Ele está incrivelmente certo de falar das crianças e do que elas gostam. Elas gostam exatamente destas coisas:

As ilustrações são muito legais, engraçadas e nada previsíveis. Elas não mostram exatamente sobre o que está escrito, sempre acrescentando uma novidade a cada desenho. Este livro está concorrendo ao Prêmio Jabuti de Melhor Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil que sairá o resultado dia 23 de Setembro de 2008 (nesta quarta feira próxima)



5.Você já leu outro livro desse autor? Quais?
Da Bia Hetzel nunca, mas já li livros ilustrados pela Mariana Massarani : “Mania de Explicação” e “Gabriela e a Titia”


6. O que você percebeu de comum nos livros desse autor?
A ilustradora gosta muito de desenhar meninas de cabelo vermelho. Os desenhos sempre ficam com pedaços bem minúsculos sem colorir.

7. Você já leu livros, poemas ou escutou músicas que falavam sobre o mesmo assunto do livro lido? Quais?

• A música “Toda criança quer” da palavra cantada: CD
• Se a criança governasse o mundo, livro do Marcelo Xavier

segunda-feira, 26 de maio de 2008

O louco do meu bairro

Fichamento Literário – Estela Magalhães Ribeiro 25/05/2008


  1. TÍTULO: O louco do meu bairro

  2. AUTOR: Anna Flora

  3. ILUSTRADOR: Mia (Gilberto Miadaira)

CRÍTICA – O que você achou do livro? Por quê?

A história fala de uma turma de um bairro. Esta turma tinha 3 meninas e 7 meninos, e no bairro tinha um louco que corria atrás da turma. Eles chamavam este louco de “guardinha louco”. Um dia duas das meninas, as gêmeas Andréia e Flávia se mudaram para o Rio de Janeiro, Ipanema. Aí a menina ficou sozinha com a turma de meninos. Aí, os meninos não convidavam mais ela para brincar nem brincavam mais com ela. Aì ela sentou muito triste na calçada e o guardinha louco sentou do lado dela. Aí ele perguntou se ela estava triste por que os meninos não deixavam mais ela brincar com eles e disse que ele era louco, mas não era bobo e que ele tinha visto tudo acontecer. Com o passar do tempo ela ficou amiga do louco que tinha o nome de Pedro. O Pedro a ajudou a entrar de volta na turma. E ela fez de tudo para fazer o Pedro entrar na turma também. Mas eles não queriam o Pedro na turma. Um dia eles estavam jogando vôlei e a bola caiu na casa de uma dona que não devolvia as coisas que caíam no quintal dela. O Pedro resolveu o problema fantasiando-se de vendedor de enciclopédia e pegando a bola de volta. Isso fez com que o Pedro fosse aceito na turma. Achei muuuuito legal, porque a história tem uma turma igual a qualquer turma de qualquer bairro e de qualquer escola.

Você já leu outro livro dessa autora? Quais?

Esse e o primeiro livro que eu leio dela.

Você já leu livros, poemas ou escutou músicas que falavam sobre o mesmo assunto do livro lido? Quais?

Turma do bairro

Oliver e seus companheiros


Filme do youtube sobre os direitos das crianças:

http://br.youtube.com/watch?v=Y5W9H73Za-k&feature=related

Direito à ser livre de discriminação.

Mini auto-biografia da Autora:

Nasci em 11 de julho de 1959, em São Paulo. Sou formada em História e mestre em Teatro pela Escola de Comunicação e Artes, da Universidade de São Paulo. Publiquei dezenove livros, entre eles: A bela e a fera, pela FTD; o Retrato das figuras, pela Quinteto; O louco do meu bairro, pela Ática; República dos argonautas, pela Companhia das Letras; Em volta do quarteirão, pela Salamandra.Em 1997, ganhei o prêmio Jabuti pela Coleção Escrever e Criar; a Redação através do Jogo e da Literatura, em parceria com Ruth Rocha. Atualmente escrevo, coordeno oficinas sobre jogos e histórias, estudo Filosofia e estou criando uma história sobre um rinoceronte.

Fonte: http://www.ftd.com.br/v4/Biografia.cfm?aut_cod=37&tipo=A

sábado, 17 de maio de 2008


Fichamento Literário – Estela Magalhães Ribeiro 04/05/2008

TÍTULO: O gato do mato e o cachorro do morro



AUTOR: Ana Maria Machado

ILUSTRADORA: Janine Decot

CRÍTICA – Qual é a parte do livro que você achou mais interessante?

A parte que eles brigaram com o leão.

Você gostaria de ser algum dos personagens? Por quê?

Gostaria, sim. Gostaria de ser o mosquito porque eu sou alérgica a eles. A gente ia trocar de lugar e eu ia picar eles.

Que outro título você daria para esse livro? Por quê?

“A briga ou a paz”. Porque ele conta a história de um gato e um cão que primeiro estavam brigando e depois ficaram em paz.

Escreva a história com suas palavras.

Essa é a história de um gato e um cachorro. Isto é, um gato do mato e um cachorro do morro. A história começa com um gato que estava comendo num prato. Aí ouviu um cachorro pedindo socorro. Ele estava no meio da água, num cano encharcando ele. O gato foi lá e ficou rindo dele. Eles então resolveram brigar para ver quem era mais forte e valente. Vários bichos ficaram rindo da briga deles. Foi quando apareceu um leão. Todos correram mas logo voltaram. Aí todos eles se juntaram e começaram a brigar com o leão. Aí eles ganharam e o gato e o cachorro aprenderam que eles não deviam brigar com amigos. Brigar é certo só quando é com inimigos.

Imagine que você é a ilustradora desse livro. Desenhe uma nova capa para ele.






A Jararaca, a Perereca e a Tiririca

Fichamento Literário – Estela Magalhães Ribeiro 21/04/2008

TÍTULO: A jararaca, a perereca e a tiririca


AUTOR: Ana Maria Machado
ILUSTRADOR: Walter Ono
CRÍTICA – O que você achou do livro? Por quê?
Achei o livro legal e de acontecimentos. É uma história de uma jararaca, uma perereca e uma tiririca que moravam juntas num terreno baldio. Um dia apareceram uns homens que queriam construir um prédio. Aí, a jararaca pulou pra cima deles (pois é, pularia... se jararaca tivesse pernas) e quis brigar,mas não brigou porque logo morreu. A perereca se mandou para longe, lá pra Amazônia e ficou olhando a pororoca (que é quando as ondas se encontram e fazem um barulhão). A tiririca ficou parada no lugar, vendo toda a construção. Arrancavam ela e ela sempre deixava um broto para nascer de novo. O tempo foi passando e ela assim nessa luta... e venceu. Nenhuma conseguiu vencer... só ela.
Eu achei essa história boa porque fala sobre fugir, atacar ou ficar. Quando eu tenho um problema eu sou parecida com a perereca porque eu fujo do perigo. E você?
Você já leu outro livro dessa autora? Quais?
Já. Menina bonita do laço de fita. Avental que o vento leva. Mico Maneco. Fome danada. Tatu bobo. Cabe na mala. Menino Poti. De carta em carta. Meu reino por um cavalo. Passarinho me contou. Procura-se lobo.

O que você percebeu de comum nos livros dessa autora?
Ela brinca com palavras parecidas: JARARACA, PERERECA, TIRIRCA e POROROCA. Elas tem uma consoante, uma vogal, uma consoante, uma vogal, uma consoante, uma vogal e depois CA. As sílabas do meio são com a letra R.

Você já leu livros, poemas ou escutou músicas que falavam sobre o mesmo assunto do livro lido? Quais?

1. Os três porquinhos – Dois porquinhos fogem mas um arruma um plano para deter o lobo.
2. Naná descobre o céu – História de uma indiazinha que ficou e enfrentou os homens brancos.
3. Prá Nhá Terra – O Tatu foge e os outros guardiões tentam enfrentar o problema.
4. Chá de sumiço em A menina danadinha - A Ritinha perdeu a boneca Maricota e não desiste de procurá-la. (Eu tenho o livro autografado pelo Pedro Bandeira).

O pavão do abre e fecha

Fichamento Literário – Estela Magalhães Ribeiro 27/04/2008

TÍTULO: O pavão do abre-e-fecha


AUTOR: Ana Maria Machado

ILUSTRADOR: Ana Göbel

CRÍTICA – O que você achou do livro? Por quê?
Achei o livro muito legal. É a história de um pavão que só de ouvir alguém falar que ele fazia alguma coisa mal, ele já desanimava. Um dia ele recebeu um convite de uma festa no céu. Aí ele foi treinar para a festa. Apareceu um bicho que falou que ele dançava mal. Então ele abaixou as penas e se encolheu. Até que veio um pardal que falou que ele dançava bem. Aí ele abriu as penas de novo. Aí ele perdeu uma pena, ficou triste e fechou tudo outra vez. Aí um outro bicho disse para ele que ninguém ia reparar que ele estava sem a pena. Ele então abriu as penas de novo. Ele fez isso várias vezes no dia e ficou tão espandongado que até desistiu de ir à festa no céu. Ele se escondeu atrás de uma moita e ouviu dois urubus conversarem. Aí ele pensou: agora é a minha vez de rir deles. Ele riu dos urubus. Depois os urubus foram contra e mostraram para ele que não importa ser bonito ou feio tudo é só uma questão de recheio.
Eu já li o livro Bom dia, todas as cores e sei que a Ana Maria Machado e a Ruth Rocha são cunhadas. Achei as histórias parecidas. Acho que uma inspirou a outra.

Você já leu outro livro dessa autora? Quais?
Já. Menina bonita do laço de fita. Avental que o vento leva. Mico Maneco. Fome danada. Tatu bobo. Cabe na mala. Menino Poti. De carta em carta. Meu reino por um cavalo. Passarinho me contou. Procura-se lobo. A jararaca a perereca e a tiririca.

O que você percebeu de comum nos livros dessa autora
Ela gosta de usar palavras engraçadas: espandongado.

Você já leu livros, poemas ou escutou músicas que falavam sobre o mesmo assunto do livro lido? Quais?
· Bom dia, todas as cores!
· O peru
· Mil pássaros – sete histórias de Ruth Rocha



Ponto a Ponto


TÍTULO: Ponto a ponto

AUTOR: Ana Maria Machado

ILUSTRADOR: Christine Röhrig

CRÍTICA – O que você achou do livro? Por quê?
Eu gostei muito livro porque ele fala de muitos livros legais que eu já conhecia, só que conta estas histórias como se fossem pontos de costura.
A história é: Era uma vez um fiapo de voz que tinha duas netas e que contava muitas histórias para elas. Contou a história de Cinderela, a história de Hércules e a história da Bela Adormecida e também mais um monte de histórias.
Também contou a história de um príncipe que foi lutar com um monstro e a princesa deu para ele um rolo de lã para que ele não se perdesse no labirinto.
Tem uma história de uma moça que não gostava de costurar e a mãe brigava com ela e a rainha chegou e perguntou por que a mãe tava brigando com a filha e a mãe da moça mentiu dizendo que ela gosta muito de costurar. A rainha então colocou a moça no alto de uma torre para costurar um monte de coisa que ela tinha deixado lá em cima, aí chegaram três moças que costuravam direitinho e rápido e elas fariam a costura para ela se ela deixasse estas três moças irem para o casamento dela e apresentasse elas como primas dela. Aí as moças costuraram rapidinho, no dia do casamento ela apresentou as moças como primas. Aí o príncipe perguntou para uma delas: - Por que essa boca tão grande e a primeira respondeu “é de tanto fiar!” e perguntou para a segunda: - Por que essa mão tão grande? E ela respondeu “é de tanto fiar!” e ele perguntou para a terceira: - Por que esse pé tão grande: e a última respondeu “é de tanto fiar!”
Ela usa na história a costura e quer dizer que ela pega um pano furado e pega uma agulha e uma linha passando por cima e por baixo como se costurasse as histórias uma nas outras.
Só isso!
Ei... ei papai!
Papai eu não to mais ditando!
Hehehe... Papaiê... eu não tou mais ditando a crítica não papai!!!!
Tira isso daí!!!!



Você já leu outro livro dessa autora? Quais?
Já. Menina bonita do laço de fita. Avental que o vento leva. Mico Maneco. Fome danada. Tatu bobo. Cabe na mala. Menino Poti. De carta em carta. Meu reino por um cavalo. Passarinho me contou. Procura-se lobo. A jararaca a perereca e a tiririca. O gato do mato e o cachorro do morro. O pavão do abre-e-fecha.

O que você percebeu de comum nos livros dessa autora
Ela faz alguns livros muito grandes.


Você já leu livros, poemas ou escutou músicas que falavam sobre o mesmo assunto do livro lido? Quais?
· Hércules
· A bela adormecida
· Cinderela

domingo, 30 de março de 2008

Passarinho me contou

Fichamento Literário / Estela Magalhães Ribeiro 30/03/2008

TÍTULO: Passarinho me contou
AUTOR: Ana Maria Machado












ILUSTRADORES: Ivan e Marcello












CRÍTICA – O que você achou do livro? Por quê?
O livro fala sobre um reino que era muito belo. Tinha praias, rios, mar, peixes, baleias, ilhas, canoas, tinha coqueiral, trem e um castelo. Um reino muito longe daqui. Lá havia abelhas, havia muitas plantas, árvores de muitos tipos. Mas nas florestas é onde tinha muitos bichos. Havia araras, jaguar, tamanduá, havia tatu. Mas o que era mais bonito eram os pássaros. Havia beija-flores de muitos tipos. Um dia muito belo (até aí nada de mais, porque nesse reino tudo era belo) o rei convocou muitos super-heróis, cavaleiros de todos os países para resolver o problema. Aí da janela começou a contar uma coisa que tinha acontecido e que ele queria resolver. Aí ele começou a contar: um dia um velho que tinha chegado de muito longe, tinha atravessado o reino todo e queria ficar no castelo da família real, um pouco. Aí o rei perguntou: Você não acha esse reino muito belo? O velho respondeu: é... é bonito. Então o rei achou que ele estava muito cansado e não conseguia enxergar direito porque o rei achava o próprio reino muito bonito. Então o rei foi lá e deixou o velho tomar um banho, deitar na rede e beber água de coco. Aí o velho disse: esse reino tem muito problema. Que problema? O problema é... e antes de terminar de contar qual era o problema o velho caiu no chão morto. Então o rei pediu para os cavaleiros resolverem o tal problema. Mas nenhum conseguiu. Ao invés disso, eles roubaram muitas das riquezas do reino. Aí, o rei viu no meio da multidão, duas crianças e mandou elas entrarem. Elas disseram que seus nomes eram João e Maria e que elas eram netas do velhinho que veio para a cidade. Elas moravam num lugar do reino que não tinha coisa boa, nem comida, nem água. Na viagem elas viram baratas escondendo dentro de casa, patrões expulsando pessoas, rio secando, peixe morrendo, boi morrendo, enterro, fome, morte, fome .... O rei ficou muito bravo porque eles falaram de muitos problemas e o rei só queria ouvir coisas boas. O rei dispensou todos os cavaleiros que estavam esperando para enfrentar os perigos. As crianças não sabiam escrever e resolveram deixar um recado com o passarinho que era um pedido de desculpas. Mas o recado ficou muito longo e então o passarinho só conseguiu se lembrar do final do recado que era; problema da gente, problema da gente. O rei marcou uma reunião com todas as pessoas do reino pra discutir as coisas más do reino. Se deu certo, ninguém sabe. Mas quando a Ana Maria Machado presta atenção no canto dos pássaros dá prá ouvir o canto deles dizendo: tesouro da gente, tesouro da gente.
Eu achei o livro muito legal porque ele fala sobre um reino. Eu acho que esse reino é o Brasil. Porque todo mundo acha ele muito bonito só que na verdade tem muita gente morrendo e tem muita gente roubando as riquezas do Brasil também. E eu sou brasileira!

Você já leu outro livro dessa autora? Quais?
Já. Menina bonita do laço de fita, Avental que o vento leva, Mico Maneco, Fome danada, Tatu bobo, Cabe na mala, Menino Poti, De carta em carta, Meu reino por um cavalo, Um dia desses.

O que você percebeu de comum nos livros dessa autora?
Essa autora escreve muitas coisas rimadas. Ela adora escrever livros com paca e tatu.

Você já leu livros, poemas ou escutou músicas que falavam sobre o mesmo assunto do livro lido? Quais?
http://www.anamariamachado.com/livros/livro.php?cod_livro=129

terça-feira, 25 de março de 2008

Meu reino por um cavalo

Fichamento Literário – Estela Magalhães Ribeiro 24/03/08
TÍTULO: Meu reino por um cavalo

AUTOR: Ana Maria Machado
ILUSTRADORES: Dave Santana e Maurício Paraguassu

  1. CRÍTICA – O que você achou do livro? Por quê?
    Eu achei o livro muito legal. Ele fala de um menino, príncipe Ricardo, que queria um cavalo para brincar de cavaleiro. Mas ele queria um cavalo de verdade. Aí ele falou umas palavras mágicas, que ele não sabia que eram mágicas: “meu reino por um cavalo”. Aí apareceu um monte de cavalos de todos os tipos: cavalos de madeira, cavalos de índio, cavalos de verdade, de puxar carroça, cavalos de xadrez, de cabo de vassoura. Então ele foi direto para a primeira cidade que ele iria salvar. As pessoas estavam com medo porque tinha escurecido e havia um barulho estranho. Ele salvou as pessoas da cidade porque todos aqueles cavalos fizeram tanta poeira, mas tanta poeira que as nuvens escuras que estavam sobre a cidade foram todas embora. Quando o pai dele chegou resolveu dar a ele um cavalo por ele ter sido tão corajoso. Mas ele já tinha um cavalo (o potrinho que veio junto com a manada de cavalos), então o pai dele deu a ele roupas para o cavalo e uma armadura do tamanho dele.
    É uma história que fala sobre imaginação. Eu um dia brinquei com a Alice de viajar para França de La Praia. Nós passamos por um monte de meios de transporte: trem, ônibus, avião, barco tudo isso sem sair do nosso quintal.
  2. Você já leu outro livro dessa autora? Quais?
    Já. Menina bonita do laço de fita. Avental que o vento leva. Mico Maneco. Fome danada. Tatu bobo. Cabe na mala. Menino Poti. De carta em carta.

  3. O que você percebeu de comum nos livros dessa autora?
    Essa autora escreve muitos livros sobre viajar na imaginação.

  4. Você já leu livros, poemas ou escutou músicas que falavam sobre o mesmo assunto do livro lido? Quais?
    - Reinações de Narizinho – Monteiro Lobato


- Backyardigans – série de TV com personagens que viajam para todos os lugares só que ficam o tempo todo no quintal.

"Temos um mundo
inteiro no nosso quintal
Sempre encontrando coisas novas
Pra brincar todos os dias
Nós vamos brincar com os amigos
Backyardigans "

- O mágico de Oz

sexta-feira, 21 de março de 2008

Problemas da Família Gorgonzola




Título

Os problemas da família Gorgonzola
Autor Eva FURNARI
Ilustrador Eva FURNARI
Local Editora Ano
São Paulo Global 2001
Data da Leitura
01/05/2007

Sinopse
É uma história para ler e resolver os problemas da
família Gorgonzola e da família Cascagrossa.Os
Gorgonzola são engraçados porque tem um olho maior
que o outro e são sujos. Os bichos de estimação são
também muito sujos (existem até os ZIMUNDOS). No
final do livro a gente vê se acertou as perguntas e qual
troféu ganhou: "Casca de ovo vazio" ou "Taturana abilolada"


Crítica
Achei o livro ótimo. As ilustrações são engraçadas.


Palavras Chave
Sujeira, Matemática, bichos de estimação, troféus.
Localização
Sala de aula da Escola
Outras Mídias
Livros de matemática para criança; DVD - Donald no País da
Matemágica

domingo, 9 de março de 2008

Um dia desses...




Fichamento Literário da Estela – 09/03/2008



Título


Um dia desses...


Autor


Ana Maria Machado


Ilustrador


Lula


Crítica – O que você achou do livro?

Eu achei o livro muito legal. É uma história sobre os dias da semana. Conta sobre um menino que não sabia os dias da semana (segunda, terça, quarta, quinta, sexta, sábado, domingo). Então ele falou com todos os seus amigos para irem um dia desses à casa dele. Cada dia da semana ele convidava um amigo bicho e no sábado ele convidou uma pessoa. No sábado a pessoa (que era a prima dele, Lorena) não pode ir. Ma no domingo todos os animais e a Lorena entraram na casa de João. Todo mundo começou a fazer uma bagunça. E aí os pais de Joaõ falaram para todos irem brincar lá fora. Todos foram e brincaram muito. E só pararam para tomar lanche que era bolo de banana.


Eu acho que todo mundo devia ler esse livro porque ele fala sobre os dias da semana e quem não sabe podia aprender. Saber os dias da semana é impotante porque senão ma pessoa pode convidar uma pessoa para ir na casa dele e essa pessoa não ir porque não entendeu que dia era.


Ontem eu fui à casa da minha amiga Gabriela. Se a Rosária (mãe dela) não tivesee falado que dia ela estava me esperando eu podia chegar lá na segunda. E aí seria muito diferente, seria uma confusão e ela não teria arrumado tudo para minha chegada.


Você já leu outro livro dessa autora? Qual?

"Fome danada", "Tatu bobo", "Mico maneco", "Cabe na mala", "Menino Poti" (esses eu li sozinha), Menina bonita do laço de fita", "Avental que o vento leva", "De carta em carta".


Você gosta dela? Porque?

Eu gosto dela e também da cunhada dela (que é a Ruth Rocha)


Você já leu livros, poemas ou escutou músicas que falavam sobre o mesmo assunto do livro lido? Quais?

Relógio - música do cd "Mil pássaros"

Lá vem o ano novo - Ruth Rocha

Almanaque da Ruth Rocha


Você conhece outros trabalhos desse ilustrador?

Não.

Veja meu Slide Show!

sábado, 8 de março de 2008

Direitos Humanos


Fichamento Literário da Estela – 02/03/08

ROCHA, Ruth. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Rio de Janeiro: Salamandra. 1988.

Título
Declaração Universal dos Direitos Humanos

Autor
Ruth Rocha
Ilustrador
Otavio Roth

Crítica – O que você achou do livro?
Achei o livro legal. Ele fala dos direitos que as pessoas têm. Quando você ler esse livro você vai saber que não importa o jeito que a pessoa (ou que você é). Importa mesmo é que a gente se goste.

Você já leu outro livro dessa autora? Qual?
Já. Muitos livros. Por exemplo: “Azul e lindo: planeta terra, nossa casa”; “Lá vem o ano novo”; “Gabriela e a titia”; “Romeu e Julieta”; “Marcelo, marmelo, martelo”; “Bom dia todas as cores”; “A primavera da lagarta”; Mas eu tenho muito outros.


Você gosta dela? Porque?
Eu gosto porque ela escreve coisas um pouquinho absurdas e também ela tem livros muito legais. O que eu mais gosto é o Bom dia todas as cores.

Você já leu livros, poemas ou escutou músicas que falavam sobre o mesmo assunto do livro lido? Quais?
Vários vídeos da Unicef
O cd Toquinho – Canções de todas as crianças

Você conhece outros trabalhos desse ilustrador?
Conheço. O livro: “Azul e lindo: planeta terra, nossa casa”.